Search
Close this search box.

O Setembro Amarelo salva vidas!

O Setembro Amarelo é o mês voltado para a prevenção ao suícidio. A data foi criada Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio e depois pela Organização Mundial da Saúde (OMS). 

O objetivo é fazer campanhas para conscientizar as pessoas sobre esse problema que aumenta a cada ano. 

No Brasil, cerca de 15 mil pessoas cometem suicidio por ano. A maioria dos casos poderiam ser evitados se o indivíduo tivesse recebido ajuda a tempo.

Quais são os sinais do suicídio? 

Setembro Amarelo

Alguns casos costumam ser silenciosos, mas outros podem dar pequenos sinais de que está pensando em suicídio, entre eles, estão:

  • Falta de interesse pelo próprio bem-estar
  • Mudança de humor constantemente ou repentinamente
  • Alterações alimentar
  • Insônia
  • Conversas sobre morte e despedida

É preciso ficar mais atento ainda se a pessoa já possui algum transtorno mental, porque isso pode ser um fator de risco para o suicídio.

Como ajudar quem está pensando em suicídio?

Setembro Amarelo

A melhor forma de ajudar alguém que está dando indícios ou disse abertamente que está pensando em suicídio é buscar ajuda psicológica para ela. Na maioria dos casos não existe uma iniciativa da própria pessoa para isso.

Saiba que ouvir o outro é importante, mas que ninguém será melhor do que um profissional qualificado para isso. 

Existem também o Centro de Valorização à Vida (CVV), que oferece ajuda através de chat online e ligações. Os atendentes são treinados para lidar com essa situação e é totalmente gratuito, basta ligar no 188 ou acessar o site deles.

Se você está passando por problemas, lembre-se que a sua vida é importante e peça ajuda!

Gostou do artigo? Compartilhe este post com um(a) amigo(a) que precisa saber disso! Para conferir mais, veja outros artigos de minha autoria aqui no Portal Vitta! 

Sobre o(a) autor(a): Dra. Stefânie Rodrigues
Picture of Dra. Stefânie Rodrigues
Dra. Stefânie Rodrigues é Médica Psiquiátrica, formada na Universidade Federal de Campina Grande, com residência em Psiquiatria no Hospital Municipal do Campo Limpo, em São Paulo, SP. Atualmente, realiza Pós-Graduação em Psiquiatria Infantil na POSFG (SP).
Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados