O autoconhecimento sobre o próprio corpo é uma ferramenta poderosa na jornada pela saúde da mulher… Você já parou para pensar nisso? 

Ao entender suas características anatômicas e fisiológicas, é possível identificar alterações no organismo que podem indicar problemas de saúde precocemente, permitindo o início de tratamentos eficientes e aumento de chances de cura.

Vai além da compreensão dos aspectos físicos do corpo, já que o empoderamento feminino está intrinsecamente ligado à autonomia, liberdade e controle sobre sua própria saúde. Saber mais sobre si é libertador e proporciona mais autoestima e bem-estar emocional. 

Quando nos tornamos conscientes das nossas necessidades e limitações, ficamos mais capacitadas a tomar melhores decisões em relação aos cuidados com o corpo, incluindo a busca por exames preventivos e o diálogo aberto com profissionais de saúde, como ginecologistas.

 

Vamos saber mais sobre isso? Continue lendo este artigo! 

Ciclo menstrual e fertilidade

Ciclo menstrual e fertilidade

A compreensão quanto ao ciclo menstrual vai além do controle da fertilidade, já que é fundamental para a saúde reprodutiva e o bem-estar geral das mulheres. Como ginecologista, enfatizo e afirmo que o ciclo menstrual é um indicador vital da saúde do sistema reprodutivo feminino. 

Por meio da observação de regularidades ou irregularidades no ciclo menstrual é possível oferecer e identificar esclarecimentos sobre a saúde hormonal, o funcionamento do ovário e a saúde do organismo no geral.

Vale lembrar que um ciclo menstrual regular normalmente indica um equilíbrio hormonal saudável, no entanto, irregularidades podem ser sintomas de distúrbios hormonais, como a síndrome dos ovários policísticos (SOP). São aspectos como esses que devem nos atentar no dia a dia

Desse modo, o ciclo menstrual serve como um alerta para que as mulheres a reconhecerem sinais de alterações, como sangramento excessivo, ausência de menstruação ou dor intensa. Assim, procurarem cuidados ginecológicos quando necessário e proteger a saúde reprodutiva e geral. 

Autoexame das mamas

O autoexame é uma prática essencial na detecção precoce de possíveis alterações das mamas entre as mulheres. Realizar a autopalpação permite a identificação de qualquer mudança ou anormalidade que possa surgir na região, como possíveis caroços, alterações na textura ou formato das mamas,

Quero destacar que  o autoexame das mamas não substitui a mamografia, mas é uma forma de complementação do exame. O autoexame torna-se uma espécie de “vigilância contínua” entre uma mamografia e outra, aumentando as chances de um diagnóstico precoce.

Indico sempre para as minhas pacientes que incluam o autoexame das mamas em sua rotina de autocuidado frequentes. É importante estarem atentas a qualquer mudança na região mamária, para que haja uma detecção precoce de possíveis problemas de saúde.

Veja como fazer o autoexame em casa: 

Imagem: Reprodução/Internet

Contracepção consciente e autoconhecimento sobre o próprio corpo

É fundamental conhecer os diferentes métodos contraceptivos disponíveis no mercado, especialmente para promover uma sexualidade saudável e responsável consigo mesma. Existem uma variedade de opções contraceptivas, cada uma com suas próprias vantagens e indicações.

Entre os mais comuns estão as injeções hormonais, pílulas anticoncepcionais, DIU, Implanon e preservativos. Todos esses oferecem eficácia na prevenção da gravidez, no entanto, deve ser escolhido a partir das suas necessidades. 

Além disso, é essencial que as mulheres possam ter acesso a informações sobre métodos contraceptivos, para que consigam tomar escolhas baseadas em suas necessidades individuais e estilo de vida.

Outro ponto importante: para além da prevenção de uma gravidez indesejada, a contracepção consciente proporciona mais segurança nas relações sexuais, como protegendo de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). Aproveite sua vida sexual de forma plena e segura! 

Saúde emocional e hormonal

Saúde emocional e hormonal

Para manter o bem-estar integral da mulher, é crucial destacar a importância da saúde emocional e hormonal nesse aspecto, já que está tudo interligado à saúde física e ginecológica. Quando há equilíbrio hormonal, conseguimos promover mais estabilidade emocional e o bem-estar psicológico.

A saúde emocional também desempenha um papel importante na regulação do ciclo hormonal da mulher, portanto, devemos adotar uma rotina para buscar uma saúde emocional equilibrada. A prática regular de exercícios físicos e terapia, são aliadas na garantia de mais qualidade de vida para a mulher.

O conhecimento do próprio corpo é um meio necessário para a saúde da mulher, por isso indico ações como procurar informações, realizar exames de rotina e manter uma comunicação aberta com o ginecologista, durante o processo.

O autoconhecimento não apenas previne problemas de saúde, mas também fortalece o vínculo entre a mulher e sua própria jornada de bem-estar.

 

Quer saber mais sobre assuntos relacionados à saúde da mulher? Confira outros conteúdos autorais sobre ginecologia aqui no blog e me acompanhe através do Instagram: @paulaangelicalopes!

Sobre o(a) autor(a): Dra. Paula Angélica Lopes

Ginecologista e obstetra formada em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) com residência médica de Ginecologia e Obstetrícia na Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC/UFRN).


    Compartilhe

    Deixar um comentário

    Artigos relacionados

    Voltar para artigos