O aborto que acontece de forma espontânea ou de maneira repetida afeta profundamente a vida da mulher. Entre os principais sentimentos presentes estão culpa, angústia, medo, tristeza e até mesmo alívio.
Neste artigo, iremos conversar sobre a importância e a relevância do tema na prática ginecológica e obstétrica, bem como a necessidade da empatia e sensibilidade, reconhecendo a singularidade de cada situação.
Vamos compreender mais sobre isso? Continue lendo este artigo! 

Aspectos emocionais do aborto

 

Aspectos emocionais do aborto
Em relação aos aspectos emocionais do aborto, podemos identificá-los como complexos, variados e individuais. O aborto espontâneo ou de repetição é um processo carregado de sentimentos intensos e muitas vezes conflitantes para as mulheres.
Nesses casos, o aborto pode provocar uma série de emoções, como sentimentos de culpa. Há desgaste emocional intenso também, especialmente devido ao estresse emocional relativo ao processo por completo.
Dessa forma, é necessário validar todos os sentimentos das mulheres, oferecendo suporte emocional e psicológico e a formação de uma rede de apoio em todo processo de aborto.

Riscos e fatores de risco

A partir de uma visão ginecológica e humanizada, é fundamental reconhecer e validar todos os impactos no bem-estar psicológico e mental das mulheres.
Muitas mulheres podem enfrentar períodos de luto e a necessidade de um momento para reorganização emocional. Nesses casos, o acompanhamento ginecológico e psicológico deve estar presente para auxiliar a mulher a lidar melhor com a vulnerabilidade emocional.
Além disso, os fatores de risco podem aumentar a probabilidade de impactos negativos na saúde mental após o aborto, dependendo do contexto em que a mulher esteja inserida. Se houver histórico de traumas e de distúrbios psicológicos e falta de suporte emocional e psicológico, por exemplo, a mulher torna-se mais suscetível aos impactos.
Algo a ser indicado por mim: que a mulher tenha acesso a recursos de suporte, como grupos de apoio e terapia, para que possa compartilhar com outras mulheres que estão passando pelo mesmo processo o que está sentindo. Essa é uma ótima alternativa também!

A importância do acompanhamento médico ginecológico

A importância do acompanhamento médico ginecológico
O acompanhamento médico ginecológico após um aborto espontâneo garante apoio emocional e cuidados específicos e direcionados às mulheres que passaram por esse processo. Uma abordagem humanizada proporciona acolhimento, além de oferecer uma comunicação aberta e livre de julgamentos.
Com o auxílio do(a) ginecologista, há o monitoramento da saúde física da mulher e a possibilidade de detectar quaisquer complicações que possam surgir após o procedimento.
Outro detalhe importante a ser falado nesse aspecto: é importante dialogar sobre a saúde reprodutiva no futuro da mulher. Ou seja, conversar e esclarecer dúvidas sobre sua saúde e o próprio corpo.
Desse modo, o acompanhamento ginecológico deve oferecer uma abordagem compreensiva, sensível e empática no cuidado com mulheres que passaram pelo processo de aborto. Esse é um dos principais passos para a recuperação emocional após um momento tão difícil.
Quer saber mais sobre gestação e outros assuntos relacionados à saúde da mulher? Confira outros conteúdos autorais sobre ginecologia aqui no blog e me acompanhe através do Instagram: @paulaangelicalopes!

Sobre o(a) autor(a): Dra. Paula Angélica Lopes

Ginecologista e obstetra formada em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) com residência médica de Ginecologia e Obstetrícia na Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC/UFRN).


    Compartilhe

    Deixar um comentário

    Artigos relacionados

    Voltar para artigos