Com a mudança de clima constante, uma coisa já é quase certeza entre bebês e crianças: gripe, resfriados e alergias. Essas consequências geram muita irritação, preocupação e desconforto para com os bebês. 

Uma forma de tentar minimizar os efeitos dos sintomas como o nariz entupido é o descongestionante nasal. No entanto, muitas dúvidas sobre o assunto podem surgir por conta do uso: será que posso ou não utilizar no meu filho?

 

Vamos entender melhor sobre isso?

 

Neste artigo aqui, você vai aprender mais:

  • O que é descongestionante nasal?
  • Bebês e crianças podem ou não utilizar?
  • Existem outras opções?

O que é descongestionante nasal?

Como o próprio nome já diz, é um medicamento utilizado para descongestionar o nariz quando está entupido. Ele pode ser em gotas ou aerossóis. 

Apesar do efeito quase imediato de alívio após o uso, a frequência pode trazer alguns malefícios como a dependência. Em bebês e crianças, as consequências podem ser ainda piores por conta dos compostos desses descongestionantes disponíveis no mercado.

Bebês e crianças podem ou não utilizar?

Há inúmeras contraindicações para o uso de descongestionantes nasais e menores de 12 anos. Isso porque eles costumam levar em sua composição alguns químicos que podem fazer mal à saúde do bebê, compostos como nafazolina e oximetazolina.

Essas substâncias podem causar complicações graves, pois agem nos vasos sanguíneos, levando a sintomas como sonolência, hipotermia, excesso de suor, hipotensão arterial, parada respiratória e até mesmo o coma.

As principais causas do descongestionamento nasal são alergias, gripes e resfriados. Como os pequenos podem ainda não conseguir respirar pela boca, apenas pelo nariz, o incômodo torna-se maior em muitos casos. 

Existem outras opções?

De modo geral, é recomendado apenas o uso de soro fisiológico nasal 0,9% puro, desde que haja recomendação do(a) pediatra. Além disso, umidificar o ambiente que o bebê ou a criança passa a maior parte do tempo, limpar constantemente o nariz do pequeno e utilizar a seringa de bulbo para retirar as secreções. 

Caso os sintomas persistam como febre acima de 30ºC, redução do apetite, tosse mais intensa e dificuldade de respirar, eu sugiro que procure um pediatra para poder avaliar o quadro com mais assertividade e prescrever o tratamento eficaz.

 

O que achou deste conteúdo? Confira mais dicas sobre cuidados pediátricos no meu perfil no Instagram, onde estou sempre te ajudando a cuidar do seu pequeno(a).

Sobre o(a) autor(a): Edição


    Compartilhe

    Deixar um comentário

    Artigos relacionados

    Voltar para artigos