Você sabia que a endocrinologia também está relacionada aos cuidados com a saúde dos nossos ossos? Neste artigo, vamos nos aprofundar no mundo da saúde óssea, explorando estratégias para prevenir a osteoporose e promover os ossos fortes ao longo da vida. 

Se você deseja entender melhor como cuidar dos alicerces do seu corpo, este guia é para você.

Sobre a Osteoporose

A osteoporose é uma doença metabólica que afeta os nossos ossos devido a diminuição da massa óssea, por esse motivos, eles ficam mais fracos e suscetíveis a provocar quedas e fraturas. Entretanto, é uma condição silenciosa, ou seja, sem a presença de sintomas. 

Normalmente, a osteoporose afeta pessoas a partir dos 50 anos de idade, sendo esse um dos fatores de risco. Menopausa, sedentarismo, alcoolismo, doenças endocrinológicas como diabetes, tabagismo e deficiência de cálcio, também estão entre os fatores para o desenvolvimento da doença.

Os ossos normalmente mais afetados são os dos braços, quadril, coluna e fêmur, no entanto, os sinais da osteoporose podem ser perceptíveis apenas após as fraturas por meio de um raio-x. A osteoporose não tem cura, mas tem tratamento. 

Nutrição e suplementação para ossos saudáveis

Nutrição e suplementação para ossos saudáveis

De um modo geral, o cálcio e a vitamina D são importantes para todas as idades, isso porque eles atuam na prevenção da osteoporose. No entanto, por conta do processo de envelhecimento, a osteoporose pode provocar uma diminuição da absorção de vitaminas essenciais para o organismo funcionar bem.

No caso do cálcio, ele atua diretamente na manutenção dos ossos, oferecendo mais firmeza e resistência. Já a vitamina D, que pode ser produzida naturalmente pela exposição à luz solar e em alimentos como peixe e ovos, auxilia na absorção do cálcio presente em alimentos como leite e seus derivados. 

Mas às vezes pode ser necessária a suplementação do cálcio e da vitamina D, de acordo com a sua demanda e avaliação do endocrinologista, a partir de dosagens indicadas para o dia a dia. Entre os sintomas da falta dessas vitaminas estão a fadiga, a dor muscular e o espasmo muscular.

Exercício e fortalecimento ósseo

Exercício e fortalecimento ósseo

As atividades físicas beneficiam a densidade óssea, especialmente os exercícios de força, como musculação. Ou seja, atividades que ajudam na resistência e força muscular, já que podem auxiliar na prevenção de fraturas e lesões nos ossos futuramente. 

Outros exemplos de atividades físicas são hidroginástica, caminhada, corrida e dança, além disso, podem ser praticados em qualquer faixa etária, promovendo ossos mais fortes para uma melhor qualidade de vida e bem-estar.

Papel dos hormônios na saúde óssea

Papel dos hormônios na saúde óssea

Para as mulheres, a produção dos hormônios durante a menopausa pode afetar até mesmo os nossos ossos. Sim, há uma relação direta entre a osteoporose e a menopausa, isso porque os níveis de estrogênio caem nesse período – eles contribuem para a fixação do cálcio nos ossos. 

A reposição hormonal de estrogênio pode ser uma ótima alternativa no combate à osteoporose, além disso, é essencial manter uma dieta rica em cálcio e ter uma rotina de exercícios físicos moderados. Essas são práticas para viver com qualidade de vida durante e após a menopausa. 

Investir na saúde óssea é crucial para uma vida plena e ativa. Ao adotar práticas nutricionais, exercícios específicos e, quando necessário, intervenções médicas, é possível fortalecer os ossos e reduzir o risco de osteoporose. Lembre-se, a prevenção é a chave para uma jornada óssea saudável.

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe com a família e com os amigos! E para mais informações sobre Endocrinologia, visite o meu perfil no Instagram: @tallitavieiraendocrino

Sobre o(a) autor(a): Dra. Tallita Vieira

Médica Endocrinologista graduada pela UFCG. Realizou residência em Clínica Médica no IMIP, em Recife/PE e, em seguida, residência médica em Endocrinologia e Metabologia no HUOL/UFRN


    Compartilhe

    Deixar um comentário

    Artigos relacionados

    Voltar para artigos