O Dispositivo Intrauterino (DIU) cada vez mais vem ganhando popularidade como um método contraceptivo seguro e eficaz entre as mulheres e profissionais de saúde. Com certeza, você já deve ter ouvido falar dele por aí! 

Isso porque o DIU é uma forma contraceptiva confiável, além de ser mais prático e sem necessidade de lembrança diária (caso das pílulas anticoncepcionais), além de ser facilmente adaptável para quem escolhe utilizá-lo.

Dessa forma, o alto teor de confiabilidade do DIU proporciona mais tranquilidade para as mulheres e, logo, menos chances de uma gravidez não planejada por longos anos. O DIU oferece diversas vantagens para a mulher, incluindo para aquelas mulheres que não podem utilizar métodos contraceptivos hormonais .

 

Vamos conhecer mais sobre o DIU? Vem comigo! 

 

Como funciona o DIU?

Como funciona o DIU?

 

O DIU consiste em um pequeno dispositivo inserido no útero por um profissional de saúde, com o objetivo principal de impedir uma gravidez não planejada. Ele é considerado um método contraceptivo de longa duração (variando entre 3 e 10 anos) e reversível, com alta eficiência na prevenção de na gestação. 

Muitas mulheres tornaram-se adeptas ao DIU, para além dos seus benefícios contraceptivos, pois ele oferece a possibilidade para uso entre mulheres que não podem usar métodos contraceptivos hormonais devido a preocupações médicas.

Existem dois tipos de DIU disponíveis no mercado, opções hormonais e não hormonais. Isso permite uma escolha personalizada com base nas necessidades individuais da mulher, a partir do acompanhamento ginecológico. 

Diferentes tipos de DIU disponíveis no mercado

Como citei acima, o DIU em si, possui dois tipos: hormonais e não hormonais. A escolha depende das necessidades da paciente, ou seja, é algo que deve ser analisado e pensado com calma. 

Independentemente da escolha, vale lembrar que o DIU oferece uma alta eficácia na prevenção da gravidez, com uma taxa de sucesso superior a 99%. Entenda como funciona cada um dele abaixo: 

DIU hormonal

O DIU hormonal libera progestina, um hormônio semelhante à progesterona. Ao ser liberado, a progestina torna o muco cervical mais espesso, o que dificulta a passagem dos espermatozóides em direção ao óvulo. Isso reduz as chances da ovulação e, por consequência, da gravidez.

DIU de Cobre (não hormonal)

Não há hormônio nesse DIU, mas o cobre cria uma ambiente que impede a sobrevivência do espermatozóides e o movimento até o útero. O DIU feito com o cobre afeta a fertilização do óvulo e, logo, dificulta a gestação e diminui as chances de uma gravidez indesejada. 

Segurança do DIU

Segurança do DIU

 

Apesar de ser um método contraceptivo seguro e eficaz, também há a possibilidade de possíveis efeitos colaterais. Entre os principais riscos da inserção do DIU estão cólicas, expulsão involuntária do DIU, sangramentos irregulares, alterações de humor e acne (esses dois últimos em casos do DIU hormonal).

 

Não há efeitos colaterais graves na maioria dos casos, no entanto, após a inserção do DIU, se houver alguma alteração no corpo e organismo, é necessário buscar atendimento médico. Assim, será avaliada a situação e a indicação para uma alternativa mais adequada.

Quem pode usar o DIU

Quem pode usar o DIU

O uso do DIU como método contraceptivo é indicado para boa parte das mulheres, no entanto, é necessário ter uma conversa com o profissional da saúde antes de qualquer escolha, pois pode variar de acordo com vários fatores individuais da mulher – condições de saúde, histórico médico e necessidades pessoais.

Mulheres que podem utilizar o DIU: 

  • Mulheres que buscam um método contraceptivo de longo prazo;
  • Mulheres de todas as idades (desde adolescente até a menopausa);
  • Mulheres que não podem usar contraceptivos hormonais;
  • Mulheres que desejam uma opção contraceptiva reversível;
  • Mulheres com ou sem filhos

De todo forma, reforço que, antes da inserção do DIU, busque por orientação médica e converse sobre suas necessidades. Juntos, vocês vão escolher o que mais se encaixa para sua realidade e preferências. Combinado? 

Vamos cuidar da nossa saúde? Para mais conteúdos como este, leia outros artigos no nosso blog e acesse o meu Instagram @stenialinsgineco.

Sobre o(a) autor(a): Dra. Stenia Lins

Dra. Stenia Lins é Ginecologista e Obstetra, formada na Universidade Federal da Paraíba, com residência em Ginecologia e Obstetrícia na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Mestrado na Fio Cruz-ENSP (RJ) em saúde pública na área de Violência e Saúde. Atende na Clínica Femina, onde oferece um atendimento humanizado e de qualidade para suas pacientes.


    Compartilhe

    Deixar um comentário

    Artigos relacionados

    Voltar para artigos